Login
Casa

A imigração italiana

11/05/2021
02 minutos para o fim da leitura
Por: A Casa do Imigrante Italiano

Gráfico da imigração italiana para o Brasil

Período: 1867 - 1920

Fonte: Wikipédia. Gli Italiani in Brasile (PDF, pág. 5) (em italiano). 2003.

Tabela da imigração por nacionalidade

Período: 1884 - 1923

IBGE. Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro, 2000. Apêndice: Estatísticas de 500 anos de povoamento. p. 226.

Nacionalidade 1884-1893 1894-1903 1904-1913 1914-1923
Alemães 22778 6698 33859 29339
Espanhóis 113116 102142 224672 94779
Italianos 510533 537784 196521 86320
Japoneses - - 11868 20398
Portugueses 170621 155542 384672 201252
Sírios e Turcos 96 7124 45803 20400
Outros 66524 42820 109222 51493
Total 883668 852110 1006617 503981
Nação 1894-1903 1904-1913 1914-1923
Alemães 6698 33859 29339
Espanhóis 102142 224672 94779
Italianos 537784 196521 86320
Japoneses - 11868 20398
Portugueses 155542 384672 201252
Sírios e Turcos 7124 45803 20400
Outros 42820 109222 51493
Total 852110 1006617 503981

Questão de mão-de-obra

Agricultores do Vêneto italiano são maioria

Conforme dados do IBGE - Brasil: 500 anos de povoamento, representados na tabela acima, do total de 1.243.633 imigrantes italianos, no perído compreendido entre 1867 e 1920, partiram do Vêneto italiano para o Brasil 367.510 italianos. Segundo a tabela, entre os anos de 1894-1903 o Brasil recebeu a maior entrada de imigrantes italianos, totalizando 537.784 individuos. O Brasil, um dos países receptores da imigração italiana, incluía em seus objetivos da política imigratória europeia a ocupação das vastas terras consideradas não habitadas. No final do século XIX, o Brasil precisa resolver a questão da mão-de-obra (substituindo o trabalho escravo), ocupar terras devolutas e, sobretudo, desenvolver a agricultura no país.

É neste quesito que os imigrantes italianos tornam-se peças fundamentais para a política brasileira, pois acreditava-se que os mesmos, em sua maioria, eram agricultores provenientes dos campos e do meio rural italiano . Esses agricultores serão requisitados aos setores cafeeiros de São Paulo e nas colônias estabelecidas pelo Império no Rio Grande do Sul. Cabe salientar que no Sudeste a imigração teve como característica principal a substituição de mão-de-obra; E no Sul, principalmente, no Rio Grande do Sul, a colonização de terras e o desenvolvimento da agricultura. A intensificação imigratória por parte dos italianos ao Brasil deu-se entre os anos de 1874 e 1889.

Principais fatores desencadeantes da Imigração camponesa Italiana

Buscando compreender os motivos que originaram esses fluxos migratórios, podemos dizer que ele foi possível devido a combinação de três fatores dominates que agiram como forças expulsoras. 1. O difícil acesso à terra; 2. A baixa produtividade da terra; 3. O grande número de membros da família que precisava ser mantido

Ocorreu um erro ao carregar os dados. Por favor, reinicie o site. Reiniciar... 🗙